Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Novembro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
1
3
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
27
28
29
30
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > 
imprimir
Notícias


Parceiros Life Rupis discutem evolução dos programas anti-veneno


Os parceiros do projeto Life Rupis, e outras partes interessadas, reuniram, esta semana, em Barça d'Alva, num workshop organizado pela VCF no âmbito do projeto Life Rupis, para discutir o progresso na luta contra o veneno e melhorar os procedimentos e protocolos.

O uso de veneno é uma das principais causas de mortalidade não natural em abutres, também na Península Ibérica. O uso de iscos venenosos é ilegal há mais de três décadas, mas infelizmente continua a ser uma prática relativamente frequente, principalmente para o controle de predadores.



Como parte do projeto Life Rupis, uma série de ações anti-envenenamento estão a ser implementadas. Uma unidade de cães anti-envenenamento foi estabelecida dentro da unidade da polícia portuguesa na região das Arribas do Douro - a primeira equipa deste tipo no norte de Portugal, e é usada para patrulhar a área. Até julho, fizeram mais de 50 patrulhas na área do projeto.

O projeto também estabeleceu todos os protocolos e sistemas para coletar e analisar todos os abutres e outros animais selvagens suspeitos de serem envenenados, incluindo os protocolos para o registo do caso, a necrópsia e as análises toxicológicas. Antes do projeto Life Rupis, os protocolos não eram implementados, do lado português da região do Douro, devido à falta de financiamento ou coordenação, de modo que os casos de intoxicação não eram detectados ou não analisados.

No ano passado, 5 casos de intoxicação suspeita foram identificados na área do projeto ou nos arredores, afetando uma série de espécies (por sorte, não foram encontrados abutres, mas sim, pelo menos, 3 milhafres-reais). Necrópsias e análises toxicológicas foram feitas e identificaram-se alguns venenos - como a estricina, rodenticidas, entre outros.


voltar


Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com