Bem vindo ao site da SPEA - sociedade portuguesa para o estudo de aves

Opções do site

Subscrever Newsletter

Outras opções do site

Pesquisar no site

Data actual

Principais opções do site

Dezembro 2018
D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
 
 
 
 
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
 
 
 
 
 
A Nossa Missão
A SPEA é uma ONG de ambiente sem fins lucrativos, que tem por missão trabalhar para o estudo e a conservação das aves e seus habitats, promovendo um desenvolvimento que garanta a viabilidade do património natural para usufruto das gerações futuras.
Home  > 
imprimir
Notícias


Faia aventurou-se até sul do Douro


Se sair hoje à rua em Escalhão ou Barca d’Alva, olhe para o céu, e talvez veja um dos “nossos” britangos! Faia, uma das fêmeas marcadas pelo Life Rupis, saiu da zona do ninho, que não deixava há 3 meses.

Este ano, a Faia – que foi marcada com um transmissor GPS em 2017 – voltou ao seu território do ano passado, nas arribas do rio Águeda, em meados de Março. Durante os últimos 3 meses, os dados do GPS mostram que não tem saído dessa zona, indicando é provável que esteja no ninho, ocupada com a(s) nova(s) crias. Mas hoje a Faia aventurou-se numa viagem mais longa, percorrendo cerca de 10 km até à zona de Escalhão e Barca d’Alva, na margem sul do Douro.



Os britangos criam 1 a 2 crias por ano, sendo a média, nas arribas do Douro, de cerca de 1.1 crias por casal com sucesso. Ambos os progenitores alimentam as crias. A incubação dos ovos, geralmente dois, dura 42 dias em média e a(s) cria(s) saiem do ninho 90 a 110 dias após a eclosão. No entanto, ainda se mantêm dependentes dos pais pelo menos mais um mês.

Vamos continuar a seguir a Faia, e ver se volta a centrar-se na zona do ninho ou se este foi o primeiro de vários passeios mais longos…

14 junho 2018



voltar


Política de privacidade, adicione aos favoritos, sugira este site © 2010 spea - Todos os direitos reservados.
Seara.com